O autogolpe frustrado na Bolívia

Os acontecimentos políticos na Bolívia vêm sendo muito dinâmicos nas últimas semanas. Desde o dia 20 de outubro, o dia da eleição presidencial, e à luz dos resultados preliminares, foi- se desencadeando um conjunto de interpretações, da parte da oposição e da situação.

Bolívia, entre o autoritarismo e a liberdade

Uma semana após as eleições gerais na Bolívia, o Supremo Tribunal Eleitoral (TSE) divulgou os resultados finais em meio a protestos sociais. De acordo com esses resultados, o Movimento ao Socialismo (MAS) de Evo Morales obteve 47,08%, enquanto o oponente Carlos Mesa de Comunidad Ciudadana obteve 36,51%.

Por que Evo Morales não quer debater?

Há quase oitenta dias, o candidato presidencial da Bolívia Carlos Mesa convidou Evo Morales para debater. A resposta não demorou a chegar, o próprio presidente e seus porta-vozes disseram publicamente que Evo estava acostumado a debater diretamente com o povo. O que exatamente significa debater com o povo?

Que os candidatos menores renunciem, na Bolívia!

O ex-presidente boliviano e agora ex-candidato à presidência Jaime Paz Zamora renunciou à sua candidatura, esboçando mais uma daquelas frases que ficam gravadas na memória coletiva dos seus compatriotas: “Esbarrei em um muro de gelo e em uma visão política do século passado”

Nossa Newsletter