Peru esbarra em seus limites

Condições de trabalho precárias que os economistas chamam “informalidade”, sob as quais vivem 72,6% da população economicamente ativa do Peru. Um aparato estatal debilitado por conta de uma ideologia de “quanto menos Estado, melhor”, que há quase duas décadas vem se fragmentando desordenadamente.