A difícil história da A.L. se tornou mais difícil ainda

A história latino-americana sofre pela dependência quanto às
exportações, inquietação popular, repressão política, governos autoritários e intromissão militar. Supunha-se que a transição para a democracia e a liberalização dos mercados na década de 1980 mitigariam esses desafios.

Economia mexicana começa a se aproximar do abismo

A economia mexicana, a segunda maior da América Latina, abaixo da brasileira, começa a se aproximar do abismo, no primeiro aniversário de governo do presidente Andrés Manuel López Obrador. Os motivos para festejar são realmente poucos, no plano econômico.

Novas sanções a Venezuela sufocam mas não matam

Em 6 de agosto, aconteceu na capital peruana a Conferência Internacional pela Democracia na Venezuela, com a participação de 59 países e três órgãos internacionais,e nela foi discutido basicamente o que se faria no “dia seguinte” à queda do regime de Nicolás Maduro.

Discutir o imposto sobre heranças

Na década de 1980, já estava muito clara a desarticulação do pacto fiscal argentino. Em um livro clássico, Ricardo Carciofi expôs impiedosamente os profundos dissensos sociais, políticos e institucionais quanto à estrutura da arrecadação e dos gastos públicos.

A economia política de um Estado fraco

Afirmar que é necessário reconstruir o Estado é muito bom, mas não nos leva longe; que, indispensável, leva tempo, devemos começar agora, sim, mas enquanto isso precisamos enfrentar os problemas com os recursos disponíveis.

A desigualdade urbana na América Latina

Um passeio por Bogotá pode levar o caminhante a passar por bairros de alto luxo com parques e restaurantes de classe internacional, a subúrbios com ruas sem pavimentação e construções precárias. Essa realidade não é exclusiva da capital da Colômbia, mas das grandes cidades da América Latina.

Desigualdade e subdesenvolvimento: qual é a conexão?

E é fato que nossa região continua a ser uma das mais desiguais do planeta. Reduzir a pobreza e a desigualdade foi, no começo do século, uma das prioridades políticas em alguns países latino-americanos, mas hoje essa tarefa parece ter sido de novo sobrepujada por outras preferências.

Pessimismo quanto ao comércio, apesar de sua expansão

O mais recente relatório do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) acaba de anunciar que o valor das exportações da América Latina cresceu em 9,7% no primeiro semestre deste ano, enquanto a Cepal projetou um crescimento anual de 9,7% para as exportações da região em 2018.

Na A.L. resgatar bancos ainda recairia sobre os contribuintes

No começo de 2008, quando a crise financeira já havia começado a se desenrolar nos Estados Unidos, Cate Ambrose, presidente da Associação Latino-Americana de Capital Privado e Capital de Risco, afirmou, em artigo para um diário financeiro americano sobre os riscos da crise para a América Latina: