É o Estado, estúpido!

Una institución que se decía obsoleta para muchos teóricos asoma su quehacer y muestra lo imprescindible de la misma. En frente, una población asustada da hálito al proyecto hobbesiano por excelencia. El miedo como principio necesario para justificar al Estado constituye el ingrediente imprescindible para cerrar el ciclo.

Com o coronavírus, Baggins faz de Trump um estadista

Gostaria que Jair Bolsonaro tivesse aproveitado a tarde de sábado passado para um dos seus passatempos favoritos: ver os pronunciamentos de Donald Trump na televisão. Porque a crise que levou ao coronavírus faz o presidente americano parecer um estadista em comparação com o presidente brasileiro.

Uma foto ficou gravada no inconsciente dos uruguaios

O vice-presidente disse que isso se deveu principalmente ao fato de já ter sido condenado socialmente, como os demais diretores, graças a uma mensagem que se repetia diariamente e durante anos na mídia, consciente ou não, como parte de um processo de manipulação da verdade que acabou substituindo a realidade.

A longa sombra de Lula

O documentário “Democracia na Vertigem” tornou-se uma referência para a esquerda brasileira. Traça um relato da crise política e social que pôs fim a treze anos de governo do PT através do processo de impeachment contra Dilma Rousseff. Esta explicação coincidiria em grande parte com a do próprio PT.

O Brasil e a Síndrome de Voldemort

Hoje no Brasil vivemos com a síndrome de Voldemort. Os afectados são sobretudo jornalistas e meios de comunicação moderados, sobretudo os que agora se encontram órfãos do centro-direita. Eles são incapazes de pronunciar termos como “fascista”, “extrema-direita” e “ameaça à democracia”.

Bukelaço: um golpe contra a democracia salvadoreña

O principal empregado dos salvadorenhos decidiu se elevar à posição de intérprete máximo da Constituição. Apesar do que diz a Constituição. Nayib Bukele, presidente de El Salvador, decidiu confiar em suas visões e em um Deus que aparentemente fala com ele para dar um golpe contra a Assembleia Legislativa. E, assim, contra a democracia.

Eleições no Peru: começo ou fim da guerra política?

A elite urbana do Peru considerou que a dissolução do Congresso seria um prelúdio para a renovação política. Entretanto, os resultados do último domingo mostraram a fratura social que leva as massas de peruanos a acabar exigindo alternativas semelhantes às ficcionadas por Vargas Llosa.

Populismo: moralismo autoritário

Em nossos tempos, o mundo inteiro se parece a um bosque (em chamas) de onde brotam de todos os lados, e sem aviso, vários fungos em forma de populismo, cujo aspecto díspar deriva das diferentes tradições e culturas de cada país. É o passado que transmite ao presente aquilo que persevera dele, ainda que de forma latente.

O que nos diz o populismo?

O termo “populismo” é usado hoje em dia como referência a uma ampla gama de líderes, movimentos, partidos e governos, desde o Fidesz, de Viktor Orban, um partido de ultradireita, até o movimento esquerdista anti neoliberal liderado por Evo Morales, passando por Bolsonaro, que glorifica o governo militar no Brasil.