Partidos políticos: entre o amor e o ódio

Os partidos políticos são necessários para o funcionamento do sistema democrático mas, ao mesmo tempo, podem causar antipatia na cidadania. Na América Latina, a confiança neles é de apenas 13%, o que mostra que eles não expressam mais a vontade coletiva.

Pesquisas eleitorais, mídia e democracia no Brasil

No campo da opinião pública na América Latina há um embargo da mídia à publicação de pesquisas de opinião. Esta exclusividade não se baseia em critérios de qualidade ou previsibilidade, já que em muitos casos as pesquisas mais recentes mostraram melhores resultados do que as tradicionais.

Trump vai, suas sementes ficam

Embora Trump tenha sido derrotado definitivamente, o senhor da guerra continua a expandir seus ataques à democracia, negando os procedimentos eleitorais democráticos e promovendo uma espécie de tentativa de golpe, ridículo e provavelmente fracassado.

O dano causado pela democracia

Mais uma vez, cientistas políticos ortodoxos e democratas internacionais se assustaram e, ao saberem que aquele pequeno ponto se chama Michigan, e ao lado dele está Guisconsi, e quantas pessoas votam no Trump, a questão de saber se a democracia está em perigo ou não voltou à pauta.

O protesto social como uma marca indissolúvel da democracia

Um dos principais elementos da democracia é o conflito. O ser humano é conflituoso por natureza, não violento e democrático, através de partidos políticos, instituições e um elenco regulador de liberdades, garantias, direitos e deveres, canalizando os conflitos de forma institucionalizada. Entretanto, na Colômbia não é este o caso.

O perigo dos ‘outsiders’

Na América Latina, há décadas estamos acostumados à chegada dos messias. Trata-se de redentores das mais diversas plumagens, oriundos do mundo do entretenimento ou de profissões que lhes permitiram acumular prestígio –e sobretudo dinheiro– que desembarcam no mundo da política, para salvar o povo da política.

Evo e a lição de Roosevelt

Já sabíamos: Evo Morales quer continuar sendo presidente. Muitos bolivianos decerto desejam que ele prossiga. Mas não uma maioria nítida (51%) daqueles que votaram no referendo convocado pelo governo em 2016 para decidir sobre permitir a reeleição ilimitada, ao contrário do que dispõe o artigo 168 da constituição boliviana.

Bolivianos encaram quarta candidatura sucessiva de Evo

A decisão do Tribunal Eleitoral boliviano, na semana passada, de dar luz verde à chapa oficial nas eleições primárias de janeiro, e com isso habilitar Evo Morales a disputar sua quarta eleição presidencial consecutiva, foi recebida com protestos dos cidadãos nas redes sociais e nas ruas

Nossa Newsletter