Pessoas desaparecidas: a responsabilidade do Estado

O maior expoente do mal humano foi o terror nazista que manteve um registro meticuloso de suas vítimas. Trinta anos depois, sob a doutrina da segurança nacional, um novo esforço sistemático, mas sem luz ou estenógrafos, trouxe a figura do desaparecimento forçado à repressão institucionalizada na América Latina.

Nossa Newsletter