A tragédia brasileira

A pandemia nos atinge coletivamente, mas isso ocorre de modo que as hierarquias e formas de vulnerabilidade que já existiam condicionam nossas possibilidades de lidar com seus efeitos. O mesmo pode ser dito do contexto político em que o combate à pandemia se dá.

Para uma democratização internacional da desigualdade?

A desigualdade de renda nos países da OCDE, o clube dos países ricos, está no seu nível mais alto no último meio século. No entanto, os dois países mais pobres do clube, México e Chile – os únicos latino-americanos – juntamente com a Turquia, foram os únicos que reduziram a desigualdade nos últimos anos.

Os Povos Indígenas e a Desigualdade

A “década de ouro” da América Latina, como se costuma chamar a primeira década do século XXI, permitiu que 70 milhões de pessoas saíssem da pobreza graças ao boom econômico e pela implementação de políticas redistributivas. Mas esse período não afetou todos os latino-americanos igualmente.

A iniquidade regional: o lado mais negro da desigualdade

Que a América Latina é a região mais desigual é um clichê. O fato não tão difundido é a enorme disparidade econômica que existe entre as diferentes regiões dos países latino-americanos. Como exemplo, o departamento de Chocó, o mais pobre da Colômbia, levaria 200 anos para atingir os níveis de renda per capita de Bogotá.

Afrodescendentes e desigualdade na América Latina

Segundo os censos dos países latino-americanos, a população afrodescendente na região em 2010 era de 111 milhões de pessoas, 21,1% do total. Mas, de acordo com um relatório da CEPAL de 2016, existem pelo menos 130 milhões. Isso demonstra as limitações que persistem na quantificação de populações minoritárias.

Nossa Newsletter