O retorno do MAS (e Evo Morales)

O curto verão do bloco anti-MAS na Bolívia durou quase um ano, já que o novo presidente eleito, Luis Arce Catacora (MAS), terá que prestar juramento nos próximos meses. O possível retorno de Evo Morales gera alegria para alguns e desconforto para outros, mas o triunfo de seu candidato é uma prova de seu sentido política.

Eleições em tempos de pandemia

Desde o início da pandemia, doze eleições e um plebiscito foram adiados na América Latina para preservar tanto a saúde dos cidadãos quanto as garantias dos processos. A região não foi a única a adiar a atividade eleitoral; mais de 70 países e jurisdições subnacionais decidiram adiar as eleições.

Lições latinas para as eleições nos EUA

Trump está aprendendo com de alguns dos líderes mais notórios da América Latina. Mas os líderes que comandaram suas nações como autoritários durante o século XX. América Latina se democratizou, deu maior ênfase ao Estado de Direito e – pelo menos em muitos países – procurou reduzir a desigualdade econômica.

Argentina: uma eleição, múltiplas decisões

Argentina vota em uma eleição com um nível incomum de mobilização. A grande diferença entre a Frente de Todos e o PASO funcionou como uma importante amostra de vontades e gerou uma reação entre os partidários do partido no poder que se materializou em um nível inesperado de mobilização.

O que se debate nesta eleição boliviana?

Menos de uma semana após as eleições gerais na Bolívia, o debate é descentralizado sobre os assuntos que a opinião pública deve ocupar, que são, por padrão, as propostas programáticas dos partidos. Os planos são em alguns casos repetitivos e em outros não diferenciados um do outro.

Por que Evo Morales não quer debater?

Há quase oitenta dias, o candidato presidencial da Bolívia Carlos Mesa convidou Evo Morales para debater. A resposta não demorou a chegar, o próprio presidente e seus porta-vozes disseram publicamente que Evo estava acostumado a debater diretamente com o povo. O que exatamente significa debater com o povo?

Eleições na Argentina e Uruguai: tempo de mudança

Argentina e Uruguai têm um passado comum e laços profundos. Nos últimos cinquenta anos, seus processos tiveram coincidências visíveis: ditaduras, transição para a democracia, virada “neoliberal”, profunda crise econômica e virada à esquerda. Os processos eleitorais em andamento parecem querer acrescentar semelhanças.

Que os candidatos menores renunciem, na Bolívia!

O ex-presidente boliviano e agora ex-candidato à presidência Jaime Paz Zamora renunciou à sua candidatura, esboçando mais uma daquelas frases que ficam gravadas na memória coletiva dos seus compatriotas: “Esbarrei em um muro de gelo e em uma visão política do século passado”

Nossa Newsletter