A política da morte de Bolsonaro

Co-autora Camila De Mario
Se um elemento fundamental da modernidade tardia e do estado contemporâneo é o direito de matar. A política de Bolsonaro se baseia na morte, na eliminação física dos cidadãos de seu país, e em particular de seus “inimigos”.

A feminização da política

Dois processos estão hoje em curso que nos remetem para bandeiras importantes do movimento feminista. O processo constituinte no Chile e o projecto de lei para a legalização do aborto na Argentina. Contudo, a paleta de opções para a feminização da política varia muito de país para país.

“A incapacidade moral” na América Latina

O fato de que a presidência peruana vai embora devido à “incapacidade moral” mostra que a política latino-americana é muito premaquiavél. Maquiavel explicou as relações de poder à margem das questões morais ou religiosas, deixando assim sem apoio, por exemplo, as ações da Igreja Católica.

Pandemia, economia e política: Uma visão desde a América

A pandemia continua. O crescimento das infecções e o número de pessoas ativas na Europa e na América indicam um ressurgimento da doença nessas áreas. Em alguns países a propagação da doença não foi controlada significativamente e nas últimas semanas foi observado um aumento adicional.

Século 21: Polarização na América

Co-autora Ana Carola Traverso-Krejcarek
A pandemia virou o mundo de cabeça para baixo, abalou as instituições, gerou novos conflitos sociais e aprofundou os existentes. Vários sistemas políticos foram afetados pela polarização ideológica, o surgimento e o fortalecimento de extremos.

Covid-19: Sobre dados, explicações e decisões políticas

Um semestre é um lapso de tempo suficientemente amplo, na era exponencial que a humanidade está vivendo, para que tenhamos podido reagir de muitas maneiras diante da pandemia. E foi o que aconteceu, de forma maciça, com enfoques disciplinares diferentes, velocidade vertiginosa e em praticamente toda parte do planeta. As provas recolhidas são esmagadoras

As leis não são tudo: o déficit de mulheres na política

Um dos principais déficits das democracias da região é a presença minoritária de mulheres nas diferentes arenas de tomada de decisões políticas. Ainda que isso represente apenas uma reprodução do que ocorre em outros espaços, a escassa participação feminina em cargos públicos convoca a um debate mais profundo.

Deixem de ferrar o povo

Foi esse o título que Aníbal Ford escolheu para um artigo que publicou na alvorada da democracia argentina, indignado com aqueles que sustentavam que as grandes maiorias haviam fechado os olhos à repressão e tinham alguma responsabilidade, por seu apoio maciço à aventura das Malvinas.

Nossa Newsletter