Roraima cresce devido às sanções dos EUA contra a Venezuela

O comércio entre Pacaraima e Santa Elena de Uairén nunca foi tão intenso. Em 2020, pela primeira vez, dois estados brasileiros tiveram seu principal destino de exportação em um único país vizinho e o estado de Roraima, que era o menor exportador do Brasil, multiplicou suas vendas externas por mais de dez vezes em dois anos.

As ditaduras nunca perdem

Revisar o futuro da Venezuela, as possíveis saídas para a instabilidade política e a dramática situação social e humanitária não é uma tarefa fácil diante da avalanche de decisões tomadas pelo regime de Maduro. Entretanto, não devemos perder de vista o fato de que cada uma de suas decisões tem como objetivo manter o processo.

Novas sanções a Venezuela sufocam mas não matam

Em 6 de agosto, aconteceu na capital peruana a Conferência Internacional pela Democracia na Venezuela, com a participação de 59 países e três órgãos internacionais,e nela foi discutido basicamente o que se faria no “dia seguinte” à queda do regime de Nicolás Maduro.

Venezuela: é o momento dos militares

Em 30 de abril, a marcha da Operação Liberdade, encabeçada por Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, tinha por objetivo estimular a alta cúpula do Exército a a mudar sua lealdade ao regime de Maduro pelo autoproclamado presidente interino da Venezuela.

Da Venezuela ao México

Se Maduro conseguir consolidar seus vínculos com o exército e com uma burocracia ideológica, o risco é de que seus descendentes ainda estejam no poder, exaltando como façanha de resistência ao imperialismo uma mistura de pobreza distribuída equitativamente, partido único e bocas seladas.

Venezuela: por que agora as coisas são diferentes?

O que mudou para que, diferentemente de outras ocasiões de forte confronto entre partidários e opositores do regime de Maduro, desta vez boa parte dos governos democráticos do planetatenham se posicionado claramente, oficializando seu apoio à oposição?

Intervenção na Venezuela?

À luz do que vem acontecendo na Venezuela, os internacionalistas -de ambos os lados- estão tirando o pó de suas velhas doutrinas, que respeitam e interpretam da maneira que lhes for mais conveniente, não para entender um problema, e sim para definir uma solução de modo acrítico.

Nossa Newsletter