Uma região, todas as vozes

Desinformação

Desinformação, risco global em 2024: novidade ou tradição?

O fenômeno da desinformação não é novidade. O que o distingue hoje é a presença onipresente da internet e das redes sociais, que transformaram radicalmente a forma como acessamos as informações.

Eleições 2024: os riscos da desinformação

O risco da polarização é que ela gera uma fratura social que pode levar a um resultado de tudo ou nada. O voto não seria para o apoio ou a rejeição de uma plataforma política, mas uma ferramenta para silenciar as vozes com as quais discordamos.

RT: desinformação sem fronteiras

As democracias do século XXI não podem ignorar as lições das campanhas de desinformação da Guerra Fria, reformuladas por seus inimigos autocráticos na atual era digital.

A fraude não é comum, mas as teorias da conspiração sim

Co-autores Luciana Fernandes Veiga e Vitória Peres Questionar a lisura do processo é legítimo, mas o que se tem observado é a utilização desse discurso como estratégia política para deslegitimar o resultado eleitoral.

Gangsters Digitais

O discurso de ódio gera engajamento, um fenômeno mensurável pela interação dos usuários da rede, e produz dados que engordam o big data das grandes plataformas.

O estranho caso dos 9.000 mortos desaparecidos em Cuba

No início de 2022, a porcentagem de cubanos totalmente imunizados era superior a 90%. Então, como explicar o excesso de mortes entre 9.000 e 12.000 em 2022?