Uma região, todas as vozes

Argentina

Javier Milei, rumo a 3 meses de governo

Três meses após a posse presidencial, o processo inflacionário se aprofunda, enquanto se multiplicam os obstáculos - especialmente os legislativos - que impedem os esforços do novo governo para desregular a economia.

Sistemas de alerta precoce, um salva-vidas da saúde global?

Devido aos efeitos da mudança climática, projeta-se cerca de 250.000 mortes anuais adicionais entre 2030 e 2050. Diante desse cenário, quais são as medidas que poderiam ser implementadas para mitigar esses riscos e minimizar seus impactos?

Milei: uma experiência inédita e incerta

Desde que Javier Milei assumiu o cargo, a Argentina iniciou uma experiência inédita de governo com estilo hiperpresidencialista. O governo busca implementar medidas drásticas e mudanças legislativas significativas, apesar de não contar com uma maioria parlamentar.

Foi eliminada a figura da primeira-dama na Argentina?

A função da primeira-dama na região é um tema complexo. Os governos tem adotado posturas diversas sobre o alcance dessa figura, geralmente ocupada pela esposa do mandatário, mas em algumas ocasiões por irmãs ou filhas dos presidentes. A ausência de regulações específicas dá lugar a um ampla gama de opções para esse papel.

O governo de Milei não é uma ditadura, mas tampouco é uma democracia representativa.

Durante décadas, a Argentina experimentou violações às suas instituições e à Constituição por parte do kirchnerismo. Na atualidade, o recém formado governo libertário de Javier Milei parece seguir pelo mesmo rumo de desafiar as instituições.

Javier Milei: entre a necessidade e a urgência

Javier Milei inaugurou uma nova etapa política na qual se propõe fazer uma varredura nos pressupostos sobre os quais se baseou o processo democrático do país desde 1983 e a política argetina em geral no último século.